O argumento impagável de Jefferson Aparecido Dias

“Imaginemos a cédula de real com as seguintes expressões: ‘Alá seja louvado’, ‘Buda seja louvado’, ‘Salve Oxóssi’, ‘Salve Lord Ganesha’, ‘Deus não existe’. Com certeza haveria agitação na sociedade brasileira em razão do constrangimento sofrido pelos cidadãos crentes em Deus”.

Para quem está acostumado a lidar com a retórica ateísta, é plenamente aceitável vincular essa frase ao discurso de um amador [porque já abandonada pelos ateus mais perspicazes]. Mas ela foi dita por um Procurador do Ministério Público Federal, o que de fato não retira sua meninice. A valiosidade da pérola aumenta conforme aumenta o cargo da autoridade pública. É possível imaginar melhor a técnica ameninada das justificativas ao observarmos as explicações dadas por ele no início deste vídeo. Jefferson Aparecido Dias, regulador nato, é velho conhecido nas “lides do Estado Laico” e nos oferta verdadeiras pérolas no exato momento em que coloca nas peças judiciais os jargões da trupe. Apesar de considerar incompleto e longe de seu propósito inicial, no mínimo interessante notar que este texto já explanou o mesmo discurso, agora repetido em um processo judicial. Tento aqui dar uma colher de chá à sua pérola: no mínimo Dias cumpre com o prometido e definitivamente garante ao populacho o acesso à sabedoria jurídica.

Anúncios