Luz nas Trevas

O problema com a pena de morte é emocional e não lógica, não espanta ninguém a justificada perda da liberdade quando sabemos que a liberdade é um direito, mas é comum se espantar com a pena capital sendo a vida também um direito, se a vida é sagrada para o sistema jurídico a ponto de jamais ser tolhida, porque a liberdade não é? É que, no entendimento cristão, a perda de um divino direito pode ser justificada, assim tanto o constrangimento como a morte legítima são justos, enquanto que se os direitos partem de um Estado, da cabeça de políticos moralistas, é uma concessão arbitrária, de tal forma que no Brasil se admite a pena de morte ao trair a pátria, que consideraram mais importante que trair a universal dignidade humana.

O fora da lei preza sua liberdade, similar ao político que ambiciona expandir a liberdade do governo, se confiamos…

Ver o post original 82 mais palavras