Lições de civilização

Na GloboNews, a hilária relação entre o massacre de Colorado e a posse de armas pelos civis proporciona os risos não dos brasileiros, mas de americanos. Segundo a reportagem, a facilidade com que o jovem adquiriu munição e armas é algo inconcebível a nós, humanistas latinos e referência civilizatória. De uma forma mais branda, diz o circense que o caminho inevitável para menos criminalidade nos EUA é a proibição das armas de fogo e, pasmem, citando o Brasil como exemplo. Digamos que os números sejam sensatos: 200 milhões de habitantes e 50 mil mortes (desconsidero as últimas denúncias de falsificação das estatísticas de homicídio em alguns estados) contra 310 milhões de habitantes e 15 mil mortes (nos índices, constam inclusive as mortes culposas). Brasil, sempre na rabeira dos conselhos jornalísticos.