Plínio, Boff e o santo pedófilo

Quando Leonardo Boff e Plínio de Arruda Sampaio são citados ao lado de um pedófilo marxista, imagino-me encantado com a formosura de suas palavras poéticas. Já se disse que praticamente todos os casos apurados de pedofilia na Igreja Católica Apostólica Romana envergaram para santos padres marxistas – leia-se: aquela casta que antes ratificara o apoio regional da Instituição ao pacto nazi-soviético.

O relativismo nunca esteve em sua forma mais ameninada.