Consumo e liberdade

O consumo é a expressividade máxima de que o indivíduo pode, por meio do labor e de seu empenho ausente de estatismo, definir suas escolhas e delinear a qualidade e viabilidade de seu modus vivendi. O consumo se torna, portanto, a exteriorização irrefutável da liberdade fundadora, republicana e cristã, as quais construíram os conceitos iniciais de democracia como o método social da maioria competente à vida política. Aquele que infere a contrariedade ao consumismo e à sociedade de mercado coaduna, ainda que indiretamente, com o Estado que se põe apto a suprimir do indivíduo sua capacidade de escolha intransferível; inclusive politicamente.