Padecendo do mesmo vício

Por isso afirmamos, naquela ocasião, sem constrangimento, que nesse terreno, em que pese o prestígio de alguns dos modernos doutrinadores que se debruçaram sobre o tema, as respostas por eles oferecidas, em sua quase-totalidade, embora pareçam ministrar novos critérios para resolver o velho problema, em verdade o que têm feito é repetir as teses expostas pelos antigos, sem avançar um passo sequer no ponto em que a questão permanece criticamente estacionada. Mais ainda – arrematamos -, padecendo do mesmo vício tautológico das propostas que pretendem superar, esses pensadores “pós-modernos” acabam por afirmar, em linguagem rebuscada, que são…

Leia-se o destacado aos olhos de Inocêncio Mártires Coelho, Paulo Gustavo Gonet Branco e Gilmar Ferreira Mendes, em Curso de Direito Constitucional, ditando a percepção da mente pós-moderna como aquela que se inova sob as velharias de outros tempos.