Fernando Pessoa não mais será citado

O mestre Fernando Pessoa, em Cancioneiro, nos dita que

Não sei o que é nem consinto
À alma que o saiba bem.
Visto da dor com que minto
Dor que a minha alma tem.

E também que se o que há de lixo moral e mental em todos os cérebros pudesse ser varrido e reunido, e com ele se formar uma figura gigantesca, tal seria a figura do comunismo, inimigo supremo da liberdade e da humanidade.

Como ocorreu com Bonhoeffer em sua teologia da soberania divina; tal qual Nietzsche na negação do socialismo; Dostoiévski na pré-psicanálise da mente espiritual; René Girard no mimetismo vitimicista, Fernando Pessoa não mais será citado nos âmbitos da alma piedosa. Trata-se do fenômeno da personalidade utilizável aos fins do ativismo, se dele emanam os odores da revolução.

A esperança obâmica terá igual desfecho, é de se ressaltar.