O vício que te havia fascinado

Quando o ardor da minha palavra persuasiva do abismo obscuro do erro retirou tua alma, profundamente desgradada, e quando, cheia de uma dor atroz, torcendo os braços, maldisseste o vício que te havia fascinado, quando a tua consciência castigando, à existência passada renunciaste, e escondendo em tuas mãos teu rosto, de repente, cheia de horror e de vergonha, tu choraste…

Nikolai Nekrássov, citado por Dostoiévski