Não distantes da ociosidade bolchevique

Ah! os esquerdistas… Piedosos, ávidos ao igualitário, intrínsecos amantes da ecologia, eminentes apaixonados pela vida humana, ainda que cerceadores da vida fetal. Demasiadamente coletivistas, que se satisfazem pelas proezas do assistencial Estado, porquanto não distantes da ociosidade bolchevique. Mas sustentam a retórica da Esperança, esta que se mostra proeminente no sorriso de personalidades; como separar a criança de sua ingenuidade?