Aquele que é grande

Aristóteles descrevera o homem magnânimo, que é grande e sabe que é grande. Porém, Aristóteles nunca teria recuperado sua própria grandeza não fosse o milagre que criou o homem mais magnânimo, aquele que é grande e sabe que é pequeno.

Chesterton em São Francisco e Santo Tomás de Aquino